sábado, 7 de janeiro de 2012

"Espelhos" - Gastão Cruz

O mar que em mim se espelha
e em mim se degrada
somente se assemelha
à boca derrotada

pelos usos inúteis
do amor e da fala
Ele reflecte fúteis
as imagens que exala

É o mar que me espelha
o líquido onde nada
À vida se assemelha
como uma fútil fala

Sem comentários:

Enviar um comentário